Home > Dicas > Alongamento ou aquecimento nos exercícios físicos?

Alongamento ou aquecimento nos exercícios físicos?

Combinar alongamento e aquecimento garante melhores resultados

Alongamento ou aquecimento nos exercícios físicos?

Pois é, aqui está outra dúvida que norteia os praticantes de exercícios sistematizados. Devo fazer alongamento ou aquecimento antes de praticar algum tipo de exercício? Qual a diferença entre os dois? Já começo adiantando que existem grandes diferenças e ao mesmo tempo elas são mínimas.

Vamos entender primeiramente então o que é o alongamento. Podemos simplificar dizendo que o alongamento é um movimento lento que busca a elasticidade máxima do músculo dentro do limite do corpo. Já o aquecimento, é a repetição de exercícios para aumentar a circulação sanguínea, lubrificar as articulações, aumentar a temperatura corporal e a prevenir lesões.

Antes de qualquer prática de exercício físico, seja ela sistematizada ou não, faz-se necessário a combinação do aquecimento corporal juntamente com o alongamento. Isso garante a você segurança durante às atividades. Não devemos substituir qualquer um deles e nem tanto alterar a ordem de execução. Forçar a musculatura sem um preparo adequado pode ocasionar traumas e principalmente distensão muscular.

O ideal é começar executando um aquecimento global (corridas curtas, pular corda, pedalar, etc), assim, nosso coração aumenta a frequência cardíaca e aumenta a pressão arterial, no entanto, somente isso não é o suficiente para estar totalmente aquecido, pois os músculos, tendões e articulações também precisam de um preparo melhor, para isso, o alongamento é a melhor forma de trabalho, deixando a musculatura mais elástica e contrátil.

Dentre os benefícios do alongamento, conforme o texto da Amanda e da Juliana, vale ressaltar o estímulo para o treino, a melhora do desempenho, redução da dor e melhor recuperação, além de permitir que os músculos trabalhem uma amplitude maior nos movimentos. O aquecimento por sua vez aumenta o fluxo sanguíneo, lubrifica as articulações, melhora a elasticidade dos músculos, aumenta a motivação e excitação bem como reduz o potencial de lesões.

Ao final da sua rotina de exercícios o alongamento pode ser empregado tanto para ajudar aliviar a musculatura auxiliando no início do processo de recuperação muscular como também como meio de aumentar a flexibilidade, no entanto, para isso, deverá ser feito com mais vigor e intensidade.

Para finalizar, vale a pena destacar que cada indivíduo tem uma capacidade articular e de flexibilidade, portanto, o ideal é trabalhar sempre no seu limite, sem exceder a amplitude dos movimentos. Ainda destaco a importância de uma avaliação da flexibilidade geral, de modo a identificar deficiências motoras possibilitando corrigí-las com um trabalho específico.

Lembrem-se sempre da importância de um profissional qualificado para fazer estas avaliações e correções a fim de melhorar suas capacidades motoras.

Um ótimo fim de semana a todos e fiquem ligados nas próximas dicas!

 

Flávio Canova
Graduado como bacharel em Educação Física pela UEM e pós-graduado em Atividade Física para a Saúde e Trenamento pelo Cesumar.
http://www.flaviocanova.com